• Valter Junior

Dias dos Pais X Dia das Mães

Você tem alguma sugestão para explicar por que no Dia das mães elas costumam ser muitíssimo elogiadas e no Dia dos pais eles costumam ser muitíssimo criticados e cobrados? Há quem diga que é porque as mães organizam ambos os eventos.


Existem algumas cobranças clássicas que são feitas aos pais. A campeã é a de serem ausentes. Essa contamina ou faz parte de muitas outras, tais como a acusação de que deixam quase que exclusivamente para as mães a instrução e disciplina dos filhos, bem como demonstram real desinteresse nos estudos, atividades esportivas, artísticas, culturais e também as voltadas para a formação cristã das crianças.


Não temos como negar que na conhecida reunião de “Pais e mestres”, o que menos podemos encontrar, são pais. As mães sempre são maioria. Por outro lado, podemos vê-los levando as crianças para muitas atividades importantes sem no entanto participarem efetivamente daquilo para o que as levam.


Reconhecemos que muitas dessas cobranças são legítimas, mas o fato delas se repetirem ano após ano sem que os pais demonstrem mudança deveria servir para nos alertar para o fato de que a ênfase na cobrança não está surtindo o efeito desejado. Muitos pais acuados por tantas cobranças e acusações, acabam por assumir o rótulo de “ausentes” e assim, se acomodam às críticas, fazendo até piada sobre elas. Típico caso de indiferença para com o pecado, atitude em que já não demonstram dar valor para as cobranças e passam apenas a zelar pela manutenção do rótulo a eles atribuído.


Foi por nada fazer que ganharam o título de ausentes, e continuando a nada fazer é que vão mantê-lo. Precisamos alertar ambos os lados para o resultado indesejado que estamos obtendo. A comemoração do Dia dos pais deve comunicar uma mensagem honesta e justa ao trazer admoestações necessárias e elogios devidos. Daremos louvores a Deus pelo que, com Sua graça, os pais estão alcançando ao estarem sendo conformados à imagem de Cristo, e também os admoestaremos quanto ao que deve ser evitado, ao tempo em que apontamos para o que deve ser buscado, colocando-nos à disposição para ajudar no que possível for.


Em vez de apenas ressaltarmos os erros à exaustão, sem no entanto deixar de reconhecê-los, exaltaremos as virtudes cristãs já vivenciadas pela graça de Deus. Dessa forma, os pais terão na comemoração do seu dia, uma experiência edificante, pois poderão ter testemunho do quanto já alcançaram, pela misericórdia de Deus, e o quanto ainda precisam buscar se aperfeiçoar em Cristo, podendo sempre contar com o nosso apoio como família e Igreja. “Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é fiel. Cuidemos também de nos animar uns aos outros no amor e na prática de boas obras”.

0 visualização