• Pr. André Pereira

A Lei Escrita no Coração

“(...) Farei uma nova aliança (...) Porei a minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo." – Jr. 31:31-33


Estas palavras fazem parte do clímax dos anúncios de Deus dados através do profeta Jeremias: "Estão chegando os dias", declara o Senhor, "quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá... " (v. 31). O profeta anuncia um futuro, um novo tempo, uma nova aliança. Nas palavras dadas através de Jeremias, a lei no íntimo (mente) e no coração são a marca definitiva deste tempo. Um novo tempo é necessário porque séculos antes de Jeremias o povo havia recebido a revelação Lei no Sinai. A primeira Aliança. O povo que saía do Egito também ouviu Deus dizer: “Eu os farei meu povo e serei o Deus de vocês” (Ex. 6:7). Mas esta nação, tesouro pessoal de Deus (Ex. 19:5) se distanciou dele. Desonrou a Deus. Jeremias usa a linguagem da intimidade do casamento. Israel adulterou (Jr. 3:4-25, 31:12). Traiu a Deus. O que Deus fez então?


Deus, misericordioso, levantou profetas. Convocou Israel ao arrependimento. Jeremias faz parte de uma longa tradição de profetas que convocou o povo ao arrependimento, em vão. Chamou-os de volta a Lei, a Aliança do Senhor. Mas enquanto a lei for algo externo, o esforço do profeta não tem resultados verdadeiros, frutíferos. Diante dos corações obstinados, a lei como um texto externo acaba esquecida, suprimida, manipulada... gerando ainda mais juízo de Deus contra este povo. Por isso Deus anuncia um novo tempo. Deus mesmo, aquele que escreveu nas primeiras tábuas da Aliança, agora tocará os corações do povo: “Porei a minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações”. Só assim o “meditar do coração” honrará a Deus no altar e na rotina (Sl. 19). É algo que Deus faz em nós, nos dando um novo nascimento (João 3).


Por isso é tão significativo que Jesus, na instituição da Ceia, afirme “Este cálice é a nova aliança no meu sangue” (1Co. 11:25). O Espírito Santo de Jesus é quem escreve a Lei em nossos corações. Na Bíblia, o coração não é apenas uma bomba muscular, responsável pelo envio de sangue ao restante do corpo. Na linguagem hebraica, o coração é a sede dos pensamentos, sentimentos, vontades, compromissos mais profundos. O convite que este faz a nós, cristãos, é de celebrarmos a Nova Aliança que Cristo já realizou, e vivermos de acordo com a realidade deste novo tempo. Jeremias fala de perdão radical e transformação radical. Fala do próprio Deus escrevendo a Lei dele em nosso íntimo, nossa mente, nosso coração: no centro de nosso ser. A vontade de Deus não pode mais algo externo. É a realidade fundamental a partir da qual vivemos, pertencendo a Deus. Como está a sua vida? Como está o seu coração? Quais seus compromissos fundamentais, mais profundos? Somos o povo da Nova Aliança. O convite que Deus nos faz neste texto é o de vivermos a partir desta realidade: “Porei a minha lei no íntimo deles e a escreverei nos seus corações. Serei o Deus deles, e eles serão o meu povo".

1 visualização