• Pr. Carlinhos Veiga

O Senhor Reina!

Hoje celebramos o dia do Cristo Rei, ou do Reino de Cristo. É o último domingo do ano litúrgico. A partir do próximo final de semana entramos no Advento – os quatro domingos que antecedem o Natal de Jesus, nos preparando para essa grande celebração. O Salmo 93 é uma das leituras indicadas para o dia de hoje. O Salmo começa com uma constatação: “O Senhor reina!”. Diz que ele se vestiu de majestade e armou-se de poder. Por isso, o mundo não se abalará, porque o Senhor não somente criou o mundo, mas também o sustenta e mantém.


Você tem receio quanto ao futuro? Teme por doenças, pandemias, crises mundiais, guerras? Os filmes apocalípticos hollywoodianos que se multiplicam nas telas são assustadores. Os produtores, lançando mão das mais altas tecnologias, mostram de forma impressionantemente, beirando o realismo, a destruição do planeta terra. São imagens aterradoras das grandes e poderosas cidades do mundo sendo avassaladas por terremotos, maremotos, vírus indomáveis, secas destruidoras, seres interplanetários. Estamos cercados por todos os lados de profetas do caos que antecipam o fim trágico da história.


Mas a Bíblia diz outra coisa (2). Desde a antiguidade o trono do Senhor está firme; desde a eternidade Deus existe. Nada foge ao seu controle, nada escapa ao seu governo. Ele é Rei! Ele é Senhor! Por isso podemos confiar naquele que demonstrou no correr da história o seu grande poder. As tragédias acontecidas, as guerras, os desastres e tudo mais aquilo que o homem pecador infringiu sobre os semelhantes e sobre a Criação, não foi suficiente para a destruição por uma simples razão: Deus mantém o governo sobre todas as coisas. Ele tem a História em suas mãos.


O salmista, inclusive, faz a menção de uma força impressionante, a mais poderosa conhecida naquela época: a força das águas impetuosas, as ondas do mar (3). Elas se manifestaram, urraram, levantaram seu bramido, seu grito colérico. Um som de amedrontar qualquer criatura. No entanto, “mais poderoso que o estrondo das águas impetuosas (...) é o Senhor nas alturas”. Não há força na terra que se compare ao seu grande poder e à sua força. Lembro-me de Jesus e seus discípulos atravessando o Mar da Galiléia em noite de grande tempestade. Enquanto os experientes pescadores se desesperavam diante da agitação das águas, Jesus dormia tranquilamente na popa do barco. Sem entender, foram acordá-lo: “Mestre, não te importa que morramos?” (Mc 4.38). Jesus então se levantou, ordenou ao mar que se aquietasse e a paz reinou. O mar furioso, em toda sua agitação se submeteu inteiramente à voz do Senhor que é Rei.


Isso serve para nos orientar na vida, quando somos tomados pelo pânico e pelo terror diante das forças poderosas desse mundo. Jesus, nessas ocasiões, nos pergunta: "Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?" (Mc 8.40). Ao final, o Salmo reafirma que os mandamentos do Senhor permanecem firmes e fiéis. É importante saber disso em dias de tantas novidades, de tantas descobertas científicas, de tantas guinadas do conhecimento humano. A Verdade, ou seja, as ordenanças do Senhor, que são eternas, não mudam, não vacilam, nem se alteram. Elas permanecem estáveis e quem nelas se agarra, está garantido.


As novidades são muitas, nas diversas áreas. Mas quem se cobre com os mandamentos do Senhor e vive baseado neles, se manterá firme como alguém que tem os pés sobre uma rocha inabalável. Devemos considerar a Palavra de Deus, amá-la e obedecê-la. A consequência é uma vida de santidade. E o Rei espera de nós uma vida santa (1Ts 4.3). A santidade é o ornamento perpétuo da casa do Senhor (5b). Por isso, se vivemos submissos a esta Palavra revelamos ao mundo a beleza do trono de Deus. Quando os servos do Rei vivem de forma submissa e santa, ele é glorificado, sua gloria é manifestada diante de todos.

1 visualização