• Pr. Carlinhos Veiga

O Senhor tudo vê

O Salmo 14 é da autoria do rei Davi. É um salmo que confronta o espírito daquela época, mas que também está presente em nosso tempo. Davi nos mostra as duas maneiras como o espírito da impiedade, da não crença, se manifesta entre nós: (a) por meio do desprezo e desrespeito por Deus e sua lei (1-3); (b) por meio da opressão que os maus infringem sobre o povo (4-6).


Você consegue identificar esse espírito de impiedade presente em nossa sociedade? O tolo, o insensato, diz: “Deus não existe”. A palavra utilizada no original, “nabal”, dá uma ideia de alguém tomado por uma perversidade agressiva se levantando contra os céus. Ele fala essas coisas em seu coração, sem pronunciar palavras. É como se demonstrasse isso em seu estilo de vida, na maneira como se relacionava com as pessoas. Lutero, certa vez escreveu: “É provável que não neguem a existência de Deus de maneira franca, mas o imaginam como que recluso no céu e destituído de justiça e poder; e esse comportamento equivale à formação de um ídolo no lugar de Deus”.


Qual é a consequência de se viver como um “nabal”? Acabam cometendo o mal contra si mesmo (“corromperam-se”), cometendo o mal contra Deus (“atos detestáveis”) e contra o próximo (“não há ninguém que faça o bem”). Porém, nada passa impune aos olhos de Deus! Mesmo que o homem não creia em Deus, o Senhor o vê e sonda o seu coração. E a conclusão que chega sobre a humanidade é que “não há ninguém que faça o bem, não há nenhum sequer” (3). “Todos ficaram completamente podres” ao se imaginarem mais sábios que o Senhor, desprezando os ensinamentos do Altíssimo. “Corromperam-se ao ponto de amar mais o mal do que o bem”. É o mesmo quadro descrito em Romanos 3.10-12. Um quadro grave, universal e perene – ninguém escapa.


No entanto, o salmista encerra o texto com um canto de esperança. O perseguido aguarda com anseio a justiça que virá. O Senhor vem para restaurar o seu povo. Não podemos perder jamais essa expectativa da promessa de um futuro glorioso. O Deus que restaura todas as coisas está agindo e completará sua obra num futuro breve.


Como anda o seu coração? Temos vivido dias difíceis, onde a corrupção, a violência, a opressão, as doenças, as crises financeiras nos atacam. Tendemos ao desânimo. Como esse salmo nos ajuda nesse momento? Oremos assim: Obrigado, Pai, porque sabemos que o Senhor não assiste a tudo que passamos de maneira passiva. Cremos que o Senhor que tudo vê, tudo julga. Pedimos que o teu Espírito Santo nos anime diante de tantas notícias ruins. Firma os nossos passos e a nossa fé. Em nome de Jesus.

2 visualizações